+ Populares

Aviso


12 outubro 2008

Dia 11 de outubro é o Dia Nacional de Combate à Obesidade

Por:My Blog Health

Ser obeso significa ter uma quantidade de gordura tão grande em seu corpo, que isso coloca sua vida em risco. O excesso de gordura pode levar ao desenvolvimento de diabetes tipo 2, doenças do coração, pressão alta, artrite, apnéia e derrame. Sua causa pode ter origem em doenças como o hipotiroidismo ou outras alterações hormonais. A obesidade é uma doença complexa. Não existe uma única causa ou cura. Você ganha peso quando você ingere mais calorias do que queima. Mas a obesidade é influenciada por muitos outros fatores como: histórico familiar, o tipo de trabalho que faz, a raça e o ambiente.

Por causa do risco envolvido, é bom que você perca peso mesmo que não esteja se sentindo mal agora. É difícil mudar seus hábitos alimentares e fazer exercícios. Mas, se você planejar, pode conseguir.

Nossa cultura é altamente consumista e tem por hábito a ingestão excessiva de alimentos, um rodízio de churrasco já deveria servir de sinal de alerta. Salada, maionese, sushi, picanha, cupim, lombo, lingüiça, frango, farofa, arroz, feijão, mandioca frita, pão, molho à vinagrete. Tudo ao mesmo tempo e à vontade. Para acompanhar, cerveja e refrigerante. De sobremesa: pudim de leite, sorvete, brigadeiro, bolo de chocolate. Depois, café (com adoçante, claro) e licorzinho. Não há dúvida de que comer é um prazer, e ninguém aqui quer pregar uma vida que não inclua cometer um exagero de vez em quando, mas a verdade é uma só: comemos demais.
Algumas pessoas odeiam fazer exercícios e outras simplesmente não têm tempo. As facilidades da vida moderna como elevadores, escadas rolantes, controles remotos, vidro de automóveis automáticos leva ao baixo gasto de calorias, ficamos também cada vez mais sentados na frente da TV e computador.

Faça pelo menos 20 minutos de atividade física por dia. Todo movimento ajuda. Vá até a tevê para trocar de canal, lave o carro no fim de semana, utilize a escada em vez do elevador.

Comemos muitos alimentos industrializados, com gorduras e açucares e a tensão psicológica é constante. O vilão do comportamento anda de mãos dadas com a obesidade. Num mundo de formas e corpos perfeitos, em que a beleza se torna cada vez mais padronizada, o excesso de peso e a obesidade vêm se transformando numa enorme epidemia mundial. No Brasil, mais de 40% da população sofre desse mal.

Há muita gente preocupada em dar explicações para essa situação, mas todas elas têm o mesmo ponto de partida: a gula. Ranqueada entre os pecados capitais, a gula é um traço humano universal. "A maioria dos animais pára de comer assim que a fome é saciada. O ser humano não. Ele continua comendo, mesmo sem estar com fome. O paladar humano dá preferência ao açúcar e à gordura, ou seja, alimentos doces e gordurosos são mais gostosos. A indústria alimentícia sabe disso e, até hoje, não teve restrições para explorar esse fato. Só agora começam a ser estudadas regras como exigir que a embalagem de alguns alimentos traga alertas sobre males que podem causar à saúde, a exemplo dos cigarros. Livre para agir tendo como únicos parâmetros o sabor e os lucros, a indústria recheou as prateleiras do mundo de alimentos mais baratos e abundantes. E também mais engordativos.

Às vezes a família inteira é de obesos, mas isso não quer dizer necessariamente que seja um problema genético. Pode ser apenas uma questão de hábito. Os filhos tendem a copiar os hábitos alimentares dos pais. Se o pai come muito, o filho tende a comer muito também.

Portanto deixe de lado as mensagens morais da infância, como "deixar comida no prato é pecado". Acostume fazer um prato do tamanho de sua fome. Uma hora antes do almoço e no fim da tarde, descumpra aquele outro conselho da sua mãe e, "estrague o almoço", ou seja, coma algo, uma fruta. Quando chegar a hora da refeição, você comerá menos.

Outras coisas também podem ajudar no ganho de peso:

Baixa auto-estima: estar acima do peso pode baixar sua auto-estima e levar você a comer como um jeito de se sentir mais confortável. Falhar várias vezes com as dietas também pode trazer problemas, tornando mais difícil perder peso.

Preocupações emocionais: estresse, ansiedade ou doenças como a depressão ou a síndrome do pânico levam as pessoas a comer mais. Alguns comem para se acalmar, para evitar lidar com o problema ou para amortecer emoções negativas.
Trauma: a perda de um ente da família ou problemas no casamento podem contribuir para você comer mais.

Numa sociedade cada vez mais competitiva, com relacionamentos cada vez mais distantes, os níveis de estresse e ansiedade aumentam. E como aliviamos a tensão? Muitas vezes com comida. As pessoas têm descontado os problemas emocionais na alimentação. Pode ser uma simples barra de chocolate, rico em carboidratos, que estimulam a produção de serotonina e provocam a sensação instantânea de bem-estar. Ou pode ser qualquer outro tipo de comida, ingerida compulsivamente.

Coma devagar e mastigue apreciando o sabor dos alimentos. Isso dá tempo para o cérebro receber informações de saciedade e você ficará satisfeito com menores quantidades.

Coloque na sua frente apenas o que pretende comer em uma refeição. Ter uma panela de macarrão ou vários bifes na mesa é um estímulo à gulodice.

Com maior ou menor freqüência e gravidade, todo mundo comete esses deslizes alimentares. Para levar uma vida saudável, é fundamental dar atenção às relações pessoais e buscar diferentes formas de satisfação. O importante é ter outras atividades prazerosas, como ir ao cinema, ter amigos para dar risada e jogar muita conversa fora. Enfim, levar a vida de uma forma mais leve, em todos os sentidos.

Peça ajuda a seu médico para:

Identificar os fatores que fazem você ganhar peso
Encontrar remédios que você esteja tomando e que possam estar atrapalhando na perda de peso. Fazer mudanças no estilo de vida e não dietas

Seu médico pode lhe recomendar a ajuda de alguns profissionais:
Um nutricionista pode dizer quantas calorias por dia você precisa e qual a melhor forma de obtê-las
Um professor de educação física pode lhe dar um programa de exercícios que seja seguro e eficiente
Um terapeuta ou psiquiatra podem ajudar a resolver problemas emocionais, como depressão e ansiedade. Também podem ser úteis para casos de problemas familiares ou vícios.
Um cirurgião pode ser necessário se o seu médico julgar importante uma cirurgia de estômago

De maneira geral, para quem deseja perder peso é: coma menos, exercite-se mais e coma muitas frutas, legumes e verduras.

A obesidade prejudica a auto-estima, gera insegurança e cria um complexo de inferioridade. Sem contar o preconceito que sofre.

Este video é um bom momento para a reflexão individual de cada um de nós.

Nenhum comentário:

Hotwords

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin

Seguidores