+ Populares

Aviso


18 outubro 2008

Academia: Gordo não entra!

Este post foi originalmente escrito no Blog Fique INforma, em 13 de julho de 2008. Vale a pena refletir sobre o assunto como fez o leitor Rafael Salgado, cujo comentário será postado na sequencia. Aproveite e comente também!


Dizem que os gordos devem se exercitar e que um ótimo lugar para isso é a academia, mas os gordos não são pessoas bem vindas nesses estabelecimentos. Você nunca reparou a plaquinha que está aí em cima espalhada por todos os cantos? Então preste mais atenção…
Logo na entrada encontramos uma catraca, mas o gordo não passa passa por ela. Para a sorte dele o estabelecimento segue as normas de acessibilidade e tem um portãozinho ao lado. Se espremendo um pouquinho ele consegue passar.
A academia exige que seja feita avaliação física, no local, mas a balança só suporta até 150 k e o gordo passou um pouquinho disso. Como também não dá para medir as dobras cutâneas e a bicicleta parece de brinquedo, perto do gordo, é melhor deixar a avaliação para depois…
Disseram para o gordo que atividades aeróbias são essenciais, mas o bumbum do gordo “engole” o banco da bicicleta ergométrica e a esteira é muito fraca para agüentar tanto peso…
Ok, ainda restam as aulas de ginástica. Step, Jump, Bike… epa Bike não dá…o banco é ainda menor… A circunferência do Jump é quase igual à do gordo e a música do Step é tão rápida que mal dá para tirar o pé do chão, imagine ficar subindo, descendo, girando…
Apesar de achar uma chatisse, disseram para o gordo que musculação é importante, porque a dieta promove perda de massa muscular e ele precisa mantê-la para diminuir o risco de lesões.
Aff…mais da metade dos aparelhos não comportam o tamanho do gordo, o jeito é pegar um colchonete e fazer o exercício no chão… E depois? Quem ajuda o gordo a levantar?
O jeito então é ir direto para a piscina, afinal hidroginástica é perfeita para quem é gordo. Reduz o impacto, proporciona o trabalho aeróbio e também o localizado que o gordo precisa. Finalmente alguma atividade que o gordo consegue fazer! E quem se importa se o gordo odeia piscina, odeia ter que colocar roupa de banho??? O mais impotante são as amizades que conseguirá fazer, sua colega mais jovem tem 30 anos a mais do que ele é ótimo conversar com pessoas maduras. Além disso o gordo tem um pouco de dificuldade para entrar e sair da água, mas já está superando, fato que, absolutamente, não o impede de participar da aula.
Hora de ir embora. O gordo vai tomar banho, ele pode escolher entre dividir aquele box sem divisórias com os outros alunos com os músculos inchados de tanto malhar ou usar o box individual, basta ter cuidado para sair de costas, porque o local é um pouco estreito…
Na saída a recepcionista foi super bacana, abriu logo a portinha e disse bem alto: “sai por aqui que é mais fácil para você! Até amanhã!” O gordo não voltou nunca mais…
Essa é a triste realidade encontrada nas academias, além do despreparo por parte dos profissionais para trabalhar com o obeso (isso posso falar com certeza, pois foi o tema da minha conclusão de pós-graduação). Para reforça;r ainda mais essa imagem uma grande rede de academias permite a veiculação de uma campanha publicitária, no mínimo preconceituosa, como bem disse o Jânio do Blog Emagrecer.
Há exceções? Espero que sim…afinal dizem por aí que a esperança é a última que morre!
Imagem: retirada da net
Comentário feito pelo leitor Rafael Salgado no Blog Fique INforma:

Gostei muito do blog, e principalmente deste post…
Realmente há uma hipocrisia tremenda no conceito de academias e health centers que estão por aí no que diz respeito à função desse tipo de lugar no auxílio à perda de peso.
As academias - e o próprio mercado de perda de peso - está hoje todo voltado a consumidores ALUCINADOS e NEURÓTICOS em relação a seu próprio físico, aos “dois quilos que não conseguem perder nunca”, e se esqueceram da clientela que PRECISA PERDER PESO. Vide a campanha mais infeliz do mundo, aquela da Mídia Externa de São Paulo da Cia Athletica.
Numa sociedade em que o culto ao corpo é a todo momento incitado, fica difícil para nós, obesos, nos adaptar e até tentar entrar nesse esquema de vida saudável.
Além das dificuldades localizadas no espaço em que nós, gordos, deveríamos nos sentir acolhidos não por piedade, mas por necessidade (como num curso de inglês, em que você entra pra aprender inglês e está num ambiente aconchegante e preparado para aprender. Na academia não temos um ambiente para perda de peso, como você perfeitamente descreveu), temos vários percalços externos que nos desmotivam ainda mais - os que conseguem, como eu, são perseverantes até demais.
Gordo não consegue comprar roupa pra malhar - pergunta pra um gordo se ele consegue fazer esteira por muito tempo durante uma semana? Claro que não, e sabe porque? Não é limitação de condicionamento apenas, é porque as empresas de material esportivo não estão nem aí pra desenvolver uma bermuda térmica para combater às assaduras inevitáveis que ficam na parte interior das coxas por causa do atrito quando se caminha por muito tempo.
Gordo não consegue comprar uma bicicleta no final de semana. Gordo que quiser bicicleta deve antes emagrecer e ficar com 100kg no máximo para poder comprar uma bicicleta pra se exercitar. E antes desses 100kg? O dia que eu chegar a 100kg, com meus 1,93m, não estou nem aí pra comprar bicicleta…
Gordo não se sente confortável na academia, pois os próprios professores instigam o culto ao corpo, que o gordo por mais resolvido que seja não se encaixa nesse pensamento… isso quando os professores não passam a enxergar os gordos como “projetos de realização profissional”. Viramos cobaias.
Gordo não cabe nos aparelhos tradicionais, como você bem disse. Aí tem que ficar fazendo adaptações e usar o fatídico colchonete. Custa um aparelho 10cm maior? Não podemos dividir espaço nas raias das piscinas, pelo simples fato de não cabermos junto a outros nadadores.
Enfim, é isso… Ser gordo torna-se um empecilho ainda maior quando a parte da engrenagem da sociedade parece não girar como deveria.
Mais uma vez, parabéns pelo blog.

Outubro 15th, 2008 at 11:06 pm

4 comentários:

Roseli de Araujo Gomes disse...

No Sesc de Ribeirão fui bem recebida, mas como estou MUITO acima do peso, o nervo ciático me deixou fora da academia...

Ainda temos opções, mas que ninguém encara a obesidade como um problema grave para ser resolvido com emergência, sinto mesmo que não encaram não..

A frustração maior que tive na academia, foi ver uma aluna apertar o osso ilíaco dizendo que precisava eliminar "aquela camada de gordura" - risos..

Os "obesos fabricados", com 2 kg acima do peso - não imaginam o que é ter "dobras"...

Mas a vida segue, o bonde anda e as academias enchem os bolsos...

Roseli

perdi100gramas disse...

Confesso que nunca tinha parado pra pensar sob esse ponto de vista. Realmente nunca vi nenhum obeso com cerca de 150 Kg (como foi citado no texto) malhando numa academia comum.

No entanto, o que mais me impressiona é que nem os "menos gordinhos", pessoas 20, 30 Kg acima do peso, frequentam academias. E poderiam (e deveriam) frequentar pois não tem os obstáculos muito bem colocados no texto. Aí o que impede é mesmo o preconceito e o medo da ridicularização.

Eu admito que, com 16 Kg a mais, tenho vergonha de ir em certas academias. É uma insegurança muito boba da minha parte, mas acho que se houvesse mais gordinhos se exercitando em academias, provavelmente eu também estaria.

Parabéns pelo blog, venho aqui sempre!

Nanda - Escreva e Emagreça

Denise Carceroni disse...

Respondendo para a Roseli...

Sinto que a obesidade é encarada como um assunto sério, haja visto a quantidade de entidades que se mobilizam para estudá-la e tratá-la. O que percebo é muita informação importante gerada, mas dispersa. Dando margem a interpretações erradas e tendenciosas. Foi por isso que surgiu a idéia de criar esse espaço.

Um abraço

Profa. Esp. Denise Carceroni

Denise Carceroni disse...

Respondendo para a Nanda...

Mesmo os menos gordinhos enfrentam obstáculos nas academias. Faltam profissionais preparados para lidar com o problema, faltam programas adequados para atender essa demanda, falta infra-estrutura adequada. Os gordinhos não são acolhidos na academia, sua insegurança tem fundamento!

Um abraço

Profa. Esp. Denise Carceroni

Hotwords

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin

Seguidores